OS EFEITOS BENÉFICOS DA CROMOTERAPIA PARA A SAÚDE FÍSICA E MENTAL

Por Guilherme Contrucci

Quando os estudos da Cromoterapia avançaram no período dos antigos sacerdotes médicos do Tibete e Egito, a humanidade percebeu que, de fato, o espectro das cores continha informações poderosas e úteis, e que cada cor tinha um significado, além daquele perceptível pelo olho humano.

Naquele tempo, acreditava -se que as cores impactavam diretamente na aura humana (corpo áurico) produzindo alterações de toda ordem, desde físicas até emocionais.

Voltando um pouco no tempo, tem-se que o primeiro a reconhecer a natureza espetral da cor e a formular uma teoria científica a seu respeito foi o físico e matemático britânico Isaac Newton (1642-1727). A definição de cor para a física, leva em consideração que o olho humano codifica apenas uma sensação, quando a luz com seu respectivo comprimento de onda alcança a sua retina.

Toda cor se pode obter a partir de três cores básicas, fundamentais ou primárias para a luz: o azul, o vermelho e o verde, e para os pigmentos: o amarelo, o magenta e o azul-verde, segundo os físicos e pesquisadores Thomas Young (1733-1829) e James Clerk Maxwell (1831-1879).

O espetro visível cobre uma extensão de cores que varia continuamente desde o vermelho ao violeta. Neste espetro há geralmente uma divisão em sete cores a que correspondem determinados intervalos de comprimento de onda.

Assim, a luz solar é formada pelos diferentes comprimentos de onda que os corpos absorvem ou refletem de forma distinta, de modo a que, quando uma substância reflete todos os comprimentos de onda, se diga que é branca. Se pelo contrário, absorve todos os comprimentos de onda, diz-se que é negra.

Da mesma maneira, se uma substância absorve todos os comprimentos de onda menos os referentes a uma determinada cor, então essa é a sua cor.

Interessante não é mesmo? Sempre gostei muito do estudo das cores, me lembro muito bem das aulas de física nos laboratórios do Colégio São Luiz, em São Paulo, nos idos dos anos 70.

Foi por essa razão que encontrei o interesse pela Cromoterapia, como um método eficiente de tratamento físico e mental; a cromoterapia é um campo das ciências das terapias complementares.

Os efeitos da cromoterapia levam em consideração os fatores neuroendócrinos, uma vez que a simples visualização de uma determinada cor, pode estimular o cérebro e os pontos sensoriais. Essa constatação, mais moderna se comparada com as crenças do passado, a respeito do campo áurico, é estudada em centros clínicos e holísticos.

A projeção de fachos de luz sobre o corpo é a técnica utilizada na cromoterapia, mas outras maneiras de expor o corpo e a visão também podem ser utilizadas, por exemplo usar vidros coloridos ou a própria roupa. Nesse aspecto, a escolha das cores das roupas também colabora para o bem estar da pessoa.

O vermelho estimula o sistema nervoso, tem relação com a paixão, entretanto não é recomendado para inflamações. Já o azul acelera o metabolismo, enquanto a cor amarela trabalha a parte muscular.

A cor laranja tem efeito antiespasmódico, e o verde dá um sentimento de renovação.

O terapeuta também pode combinar cores para minimizar diversas patologias, por exemplo, misturando as cores amarelo e verde claro obtém a cor limão que auxilia no rejuvenescimento corporal.

Introduza na sua vida as terapias complementares e você sentirá os benefícios no seu corpo, mente e emoções.

Viva as cores!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *